Embora seja possível encontrar diversos textos citando que os diferentes tipos de alopecia representam tipos de calvície, não existe nenhuma fonte realmente segura que afirme isso. O que se sabe é que existem diferenças entre uma coisa e outra.

 

A alopecia, por definição geral, existe em diversos tipos e pode atingir o couro cabeludo e qualquer parte do corpo que tenha pelos. Podem ocorrer quedas e falhas e, dependendo do caso, é possível reverter a situação através de tratamentos ou aguardando a reação do próprio organismo. Já a calvície irá agir apenas sobre os fios de cabelo, causando perda gradual e progressiva que, normalmente, é irreversível. Trata-se, segundo o Dr. Drauzio Varella, da alopecia androgenética, também conhecida como calvície de padrão masculina.

 

Ou seja: nem toda alopecia é calvície.

 

Calvície Masculina e Calvície Feminina

 

A calvície, ou alopecia androgenética, ocorre por questões de hereditariedade e, principalmente, pela ação do hormônio masculino testosterona. Este, ao entrar em contato com a enzima 5 alfa redutase, se transforma em DHT (di-hidrotestosterona), que agirá nos bulbos capilares (onde nascem os fios), deixando-os inativos.

 

A  alopecia androgenética  ocorre com mais frequência com homens, mas também pode atingir as mulheres, pois a testosterona também existe no organismo feminino, embora  em menor quantidade. Nesse caso, é possível dizer que existem apenas dois tipos de calvície: o masculino e o feminino.

 

Em ambos o DHT agirá da mesma forma, mas, nos homens, as quedas são mais severas e podem ser percebidas de três formas diferentes, popularmente chamadas de entrada, coroa de padre e careca. Nos casos mais severos, de hereditariedade, é possível que a calvície evolua a ponto de atingir todo o couro cabeludo. Já nos demais, a evolução começa na parte frontal da cabeça o que, segundo Luiz Carlos Cuce, dermatologista e professor no Hospital das Clínicas da USP (Universidade de São Paulo), é algo puramente genético.

 

A partir daí, pode ou não envolver todo o topo, deixando apenas as laterais com os fios intactos, pois essa área é menos propensa a receber a ação da di-hidrotestosterona e do fator hereditário.

 

Pode-se dizer então que existem apenas dois tipos de calvície (masculino e feminino) e que, nos homens, ela ocorre em três estágios diferentes: iniciando na parte frontal, envolvendo todo o topo da cabeça e, por fim, deixando todo o couro cabeludo sem fios.

 

Para saber mais sobre a calvície feminina clique nesse link aqui, e caso tenha ficado com alguma dúvida, é só deixar nos comentários ou ligar para a gente 😉