Não é difícil encontrar na internet ou mesmo em algumas localidades brasileiras pessoas que garantem que a aveloz cura câncer, mas será que essa informação de fato é confiável? Pensando em responder essa pergunta, separamos abaixo algumas explicações do que de fato é essa planta e o que já foi descoberto dela até hoje e comprovado cientificamente. Sua ação no organismo de fato pode ser milagrosa, mas existem muitos cuidados que devem ser tomados.

Continue lendo para saber mais.

O que é a aveloz

A aveloz, cuja grafia também é avelós e o nome científico é Euphorbia Tirucalli, é uma planta de origem africana que se adaptou rapidamente ao norte e nordeste brasileiro. É constituída por tronco e ramos cilíndricos que não possuem folhas, pois essas caem rapidamente, e por esse motivo recebe alguns apelidos como pau-pelado e graveto-do-cão. Sua parte que mais chama a atenção, porém, é o líquido branco, semelhante ao latéx, extraído de seu interior.aveloz-cura-cancer

aveloz-cura-canceraveloz-cura-cancerAs pesquisas relacionadas ao assunto começaram em 2003, quando relatos de uma mistura com a planta chamou a atenção do Doutor em Tecnologia Farmacêutica pela Universidade do Porto Luiz Pianowski. Ele ficou responsável pelos estudos que buscaram entender por que algumas pessoas diagnosticadas com câncer afirmavam obter melhoras com a bebida, e em 2006 começou a estudar o látex isoladamente, nomeando-o de AM 10.

O especialista informa que os testes foram realizados em três etapas:

  1. In vitro;
  2. Em animais, sendo realizados em Portugal e na Alemanha;
  3. Em humanos, tendo como base voluntários;

Como resultado, já nos primeiros testes foi possível notar que o AM 10, que contém os principais nutrientes da planta, atua de duas formas: eliminando as células cancerígenas e também fazendo com que as mesmas “cometam suicídio”, processo denominado apoptótico. Dessa forma, ele é capaz de substituir a quimioterapia e acabar com os temidos efeitos colaterais, pois age de modo a poupar as células saudáveis, que são atacadas no tratamento quimioterápico desencadeando desconfortos diversos, como náuseas e queda de cabelo. Além disso, o oncologista Hélio Pinczowski afirma que não é preciso o uso de agulhas para uso da substância, ou seja: ela pode ser ingerida de forma oral.

Outro ponto positivo é que o tratamento pode ser feito na casa do paciente, o que para os profissionais aqui citados transforma o aveloz na maior descoberta dos últimos anos no que diz respeito ao câncer. Afinal, tratar a doença de forma indolor e sem desconfortos é uma grande vitória.

Mas é preciso um alerta: embora facilmente encontrada no norte e nordeste e cultivada em outras regiões do país, essa planta não deve ser utilizada sem a prescrição de um médico, que acabará por indicar o uso do AM 10, ou seja, o medicamento propriamente dito. Esse cuidado é necessário por que o látex presente em seu interior é extremamente tóxico, e por esse motivo, utilizado da forma correta, combate as células cancerígenas, mas pode causar alergias e até cegueira se manuseado e utilizado sem atenção.

Logo, podemos dizer que sim, o aveloz cura câncer, e provavelmente é a melhor aposta no tratamento contra diversos tipos da doença, como câncer de mama, fígado e intestino. O efeito colateral, caso ocorra, é apenas diarréia, ao contrário da quimioterapia, que pode levar o paciente a sentir diversos desconfortos como:

  • Náuseas;
  • Perda ou amento de peso por ansiedade;

  • Fraqueza;
  • Alterações na menstruação, no caso das mulheres;
  • Queda de cabelo, provavelmente o efeito colateral mais temido.

Para saber mais sobre os efeitos colaterais e por que são causados, leia nosso post sobre O Que É Quimioterapia e também os posts complementares, nos quais explicamos tudo o que envolve o tratamento. Dessa forma, ficará mais fácil entender por que a aveloz é considerada uma planta milagrosa e como ela pode mudar a vida de quem precisa lutar contra o câncer.

E você, já ouviu falar de algum tratamento similar, que utilize elementos naturais? Conta pra gente nos comentários.